A Oratória no Tribunal do Júri: Técnicas de Defesa

As questões psico-filosóficas, inclusas no perímetro da instituição do Direito, permite no Tribunal do Júri fazer aplicação da exposição de razões, contracenando com a realidade do teor jurídico técnico, como também obter férteis resultados no Tribunal do Júri e em sustentação oral. Na prática, o autor buscou inspiração em renomados nomes conhecidos na galeria de juristas até internacionalmente, conseguindo aplicar um método que fosse desempenhado, apesar de numa norma culta, mais acessível a todos que estivessem atrelados a determinação de teses conflitantes e polêmicas em um Tribunal do Júri. Nessa linguagem de forma clara o conferencista faz uma exposição de carreira e como deram sustento a viva configuração.

É fundamental o armazenamento de conhecimento universal, pois, só assim abre-se espaços para conciliar uma boa comunicação e um bom relacionamento.

É fundamental o armazenamento de conhecimento universal, pois, só assim abre-se espaços para conciliar uma boa comunicação e um bom relacionamento, fazendo com que seja sobressaliente o brilhantismo profissional, aliado a uma dialética viva acompanhada de uma percepção requintada. Personalizar e tornar o debate comum já conhecido, em um debate diferente, próprio, alicerçado no embasamento jurídico.

Personalizar no sentido jurídico é usar de forma mais caracterizada e mais formalizada quer na exemplificação, na objetividade, na clareza, na razão, persuasão. O uso de termos centricamente jurídico, porém acrescentando a versatilidade e criatividade peculiar do orador na plenária, no auditório de palestras políticas, jurídicas, automotivacionais, empresariais e na vida acadêmica; seria a maneira própria de intérprete, determinando um estilo, pode-se no entanto através de referencial pré-existente sobre versatilidade profissional no uso das palavras, é aconselhável pesquisar sobre bons intérpretes jurídicos e multidisciplinares, sem abrir mão de sua disposição criativa, instrutiva e intelectual para “formar” o perfil ideal nessa personalização.

É preciso demonstrar segurança, otimismo, e sempre expor os fatos diante dos jurados como se estivesse falando como a amigos que até pelo gesto do olhar inspire simpatia.

Quero saber mais sobre as Técnicas de Defesa no Tribunal do Júri


É preciso demonstrar segurança, otimismo, e sempre expor os fatos diante dos jurados como se estivesse falando como a amigos que até pelo gesto do olhar inspire simpatia. A postura de como se posicionar, de como gesticular, a dialética viva, a retórica, aliada a boa fluência verbal e o referencial do conhecimento jurídico, são requisitos importantíssimos para de início tatear o estreitamento das atenções em referência ao corpo de jurados, ou ao auditório de cursos e palestras; contudo, não será tão suficiente para captar essa ligação. É preciso estender o lado sensitivo, psicológico e geográfico de si próprio para analisar o perfil de cada jurado através do aspecto da atenção dos mesmos no ato da encenação da defesa ou acusação, sempre mesmo com a expressão do olhar, transparecendo autoconfiança, verdade, no elevado trato e lisonjeio ao grupo de jurados, tratando-se como membros tão importantes quanto aos demais do Tribunal do Júri.


A construção da retórica, carrega consigo o ornato estilístico na aplicação da oralidade. Enfim, a retórica é um saber, que se inspira em muitos saberes, se põe a serviço de todos os saberes, ao aplicar na oratória uma altíssima erudição. Enfim, o duplo valor da retórica como arte e ciência, como saber e modo de como comunicar o saber, faz dela também um poderoso instrumento em utilizar a pura essência do ser.

Se quiser saber mais sobre a Oratória no Tribunal do Júri e Técnicas de Defesa
confira o conteúdo completo.

Quero saber mais sobre a Oratória no Tribunal do Júri


Este livro é insólito, pormenoriza as características da oratória; como expressar bem as palavras; como cadenciar o ritmo; como imprimir o ritmo com maior velocidade; como construir a retórica (Negra) sofista; como construir a retórica (Branca) razão; como vencer o debate mesmo sem ter razão (Dialética Erística) e seus 38 estratagemas; como desenvolver o processo maiêutico; como desenvolver o processo Socrático; como pronunciar bem as palavras com uma loquacidade inimaginável; como aprender o método desenvolvendo as seis inteligências e concluir a fala de forma vibrante colocando o método em prática e passando a ser imbatível em suas atuações.

A elegante oratória, segura de sua simbologia e de sua objetivação, convoca a todos os profissionais para aprender a se sentir na teoria e na prática “UM VERDADEIRO ORADOR”.

Com uma ampla experiência na edição e distribuição de livros jurídicos, a Memória Forense busca publicações dos assuntos mais relevantes e está sempre trazendo aos seus clientes os melhores conteúdos atualizados conforme as mais recentes legislações em vigor.

560 comments On A Oratória no Tribunal do Júri: Técnicas de Defesa