O que é a LGPD?

A LGPD ou LGPDP (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – Lei nº 13.709/2018), é a legislação brasileira que regula as atividades de tratamento de dados pessoais e que também altera os artigos 7o e 16 do Marco Civil da Internet.

A Lei de Proteção de Dados que entrou em vigor em 2020 traz em seu bojo a responsabilidade dos agentes de tratamento de dados e do titular.

Como a LGPD irá funcionar no Brasil?

A Lei Geral de Proteção de Dados exige que em determinados casos o titular de dados dê o seu consentimento para o tratamento de dados que deve ser processado em caráter sigiloso, sem ferir os direitos constitucionais do titular dos dados. Em particular a lei exige a autorização dos representantes legais, pais ou de curador ou procurador quando se tratar de tratamento de dados de criança, adolescente ou de deficiente mental.

Os dados, depois do tratamento poderão ser publicados, informados e transferidos desde que com o devido consentimento do titular. Em ocorrendo irregularidade durante o processo de tratamento de dados pessoais que venham em prejuízo do titular, como o caso de dano moral, ferindo sua dignidade humana e privacidade, ele poderá revogar o consentimento e for o caso ingressar em juízo com ação de indenização moral e tratando-se de crime, com ação penal contra os agentes de tratamento, controlador, operador e encarregado que responderão pelos prejuízos causados ao titular.

Além disso todos os dados deverão ser transparentes e público quando interessarem à investigação criminal ou apuração de fatos relevantes e históricos. O tratamento de dados poderá ocorrer quando o titular procura uma empresa para trabalhar e o Departamento de recursos Humanos necessita saber as condições pessoais, profissionais, sociais e familiares do interessado, o que não será considerado invasão de privacidade.

Saiba como implementar a LGPD no seu negócio


A autoridade policial e a judiciária poderão se valer do tratamento dos dados pessoais para investigação de fatos criminosos e processos criminais. A Processual penal veda a divulgação da privacidade e intimidade do investigado, mas permite que ele seja fotografado para fins de informação ao Departamento de Estatística Criminais.

De acordo com o art. 5o da Constituição Federal “são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurando o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação”. No âmbito do Processo Penal, identificação criminal é a coleta, guarda e recuperação de todos os dados e informações que determinem a identidade de uma pessoa indiciada ou acusada do cometimento de um ilícito criminal.

Dentre esses dados, incluem-se, principalmente, as impressões digitais, a tomada fotográfica e, recentemente criada pela Lei 12.654/12, a tipagem genética. Mas esses dados não se restringem a isso. Podem incluir outros métodos, tais como a arcada dentária, a íris, a voz, outros sinais identificadores (cicatrizes e tatuagens, por exemplo) e demais dados físicos, tais como a altura, a cor dos cabelos, dentre outros. A LGPD Lei geral de proteção de dados pessoais responsabiliza criminalmente os agentes de tratamento de dados pessoais que durante tal processo pratiquem qualquer modalidade irregularidade, principalmente fato tido como crime, em prejuízo do titular dos dados.

Trata-se de uma lei eficiente e de grande importância porque além da segurança que transmite á sociedade preserva a segurança jurídica, a intimidade, a privacidade e o bem-estar social da pessoa nos termos da Constituição Federal, dela não se divorciando.

Quero saber mais sobre a Lei Geral de Proteção de Dados

Com uma ampla experiência na edição e distribuição de livros jurídicos, a Memória Forense busca publicações dos assuntos mais relevantes e está sempre trazendo aos seus clientes os melhores conteúdos atualizados conforme as mais recentes legislações em vigor.

174 comments On O que é a LGPD?

Leave a reply:

Your email address will not be published.

Site Footer